Como  PY4ZBZ  fazia  SSTV em  1982 !
 

Os meus primeiros contatos em SSTV foram feitos em 1982.
O modo era o que hoje é chamado de BW8, ou seja preto e branco com 8 segundos. O correto seria chamá-lo de Monocromático com 8 segundos.
A imagem era quadrada, com 120 linhas varridas em apenas 8 segundos, para o padrão americano, com freqüência de varredura horizontal de 15 Hz = 60 Hz / 4.
No padrão europeu, a imagem era transmitida em 7,2 segundos, com varredura horizontal de 16,67 Hz = 50 Hz / 3.
Não existia computador pessoal, pois o PC acabara de nascer na IBM, e era caríssimo.
A transmissão era totalmente analógica, exceto a geração de caracteres.
Na recepção, eu usava um monitor e decodificador de fabricação própria com tubo de alta persistência, visto na foto seguinte, no canto superior direito. Na transmissão de imagens, uma câmera de tv adaptada com um scan-converter, e para gerar caracteres, eu usava um sistema  também de construção caseira com microprocessador 8080, que também pode ser visto na foto, em cima da mesa e ao lado do gravador de audio da Philips, com o qual foram gravadas muitas imagens de SSTV, pois a imagens não eram digitalizadas, e a fita magnética era o único meio de armazená-las.

A foto acima é da minha estação em 1982, operada no momento pelo Walmir PU4WVS.

No dia 23 de novembro de 2001, resolvi passar o conteúdo de uma fita gravada em 1982, para a tela do PC usando um dos poucos softs modernos de SSTV que ainda permitem operar no modo BW8 obsoleto, usando o pulso de sincronismo como referencia e disparo da varredura horizontal, ou seja, não "free run" (o SSTV32), e o resultado foi surpreendente, como pode ser visto nas imagens seguintes, que até então eu só tinha visto no tubo de alta persistência (fósforo P7), na tela amarela acima ! :
Obs: há vários outros softs que tem esse modo, como por ex. o MMSSTV 1.05A e o WinPix, mas estes somente recebem no modo "Free Run" (para a varredura horizontal), portanto não podem ser usados com sinais gravados em fita de audio, mas somente com sinais gerados diretamente pela placa de som, com slant corretamente ajustado. Isso porque por melhor que seja o gravador de audio, sempre haverá um erro entre a velocidade de gravação e a de reprodução, o que inviabiliza o modo free run, que não tolera erro nenhum.

Padrões de testes usados na época :
 
 

PY4ZBZ em ação na primeira imagem, onde se vê a tela do monitor. Caracteres gerados com o 8080 e minha filha Christiane na ultima imagem :
 
 

Algumas imagens recebidas em 1982 :
 
.
É importante notar que como uma imagem só durava 8 segundos, era possível mandar uma seqüência de imagens sem parar entre elas, como por exemplo as três ultimas acima.
Cada imagem ou seqüência também era transmitida varias vezes seguidas para fazer frente ao QRM e para dar tempo de memorizá-la na persistência do fósforo do tubo, que tinha que ser observado no escuro...

Para saber um pouco mais sobre os primeiros modos de SSTV, clique aqui.