Resumo
A República Democrática de São Tomé e Príncipe (R.D.S.T.P.) é um estado relativamente pequeno e jovem fora do campo de visão das regiões e esferas de influência importantes da política mundial. A ilha estado é composta pela ilha principal São Tomé (860 km2), a ilha de Príncipe (104 km2) situada a 136 km a norte e algumas pequenas ilhas rochosas, quase sempre desabitadas. A ilha São Tomé, com a capital do mesmo nome, fica situada no Atlântico à frente da África Ocidental exactamente na linha do Equador. A distância mais curta para o continente africano é de 250 km para oeste (de São Tomé a Gabun) e 400 km para norte (de Príncipe à Nigéria).
História
As ilhas foram durante séculos uma das praças principais do comércio organizado de escravos. No século 16 dominava economicamente a cultura de cana de açúcar em número um no mundo. Só mais tarde se desenvolveu a exploração de plantagens de café e cacau, de modo que as ilhas e as suas imponentes grandes plantações (roças) se tornaram no início do século 20 nas maiores produtoras de cacau do mundo. Esta excelente posição baseava-se por um lado no talento excepcional de organização dos colonos e comerciantes portugueses mas também no negócio de escravos usual em todo o mundo durante séculos. Este último só no séc. 19 foi substituído pelo sistema de contrato de trabalho, que no entanto foi considerado pelos trabalhadores como igualmente opressivo.
Um movimento de liberdade nacional dentro da população, o aumento mundial da influência comunista e a tomada de Portugal por forças comunistas levaram em 1975 à queda do império português e no mesmo ano à independência de São Tomé e Príncipe. A partir daí e até 1990 o novo estado esteve inserido numa teia de estados comunistas africanos. É nesta altura que se dá o êxodo de 2.000 europeus, a desapropriação das roças, a decadência total de plantações e infra-estruturas em parte centenárias. A queda a nível mundial do sistema comunista foi aproveitada pela população que decidiu em 1992, com uma maioria avassaladora, pela introdução dum sistema democrático pluripartidário com a vertente da economia de mercado. Sob o Presidente Miguel Trovada e o Primeiro Ministro Guilherme Posser, eleitos democraticamente, o país tenta desde então com um sucesso crescente restabelecer-se economicamente com forças próprias e com o apoio internacional. A ilha estado pode hoje - ao contrário de quase todos os estados do continente africano - ser considerada estável. Existe uma colaboração de confiança com experientes conselheiros de estado de vários países da EU.
Resumo - Dados

Área: 964 km²  	 	 	 
  	São Tomé: 	Comprimento 48 km máx. 	Largura 27 km máx 	 
  	Príncipe: 	Comprimento 18 km máx 	Largura 12 km máx 	 
  	Elevação mais alta 	2024 m Pico São Tomé 	 	 
  	Capital 	São Tomé 	 	 
  	População 	Africana, crioula,Europeia 	 	 
 	 	total 130.000 habitantesdas	 	 
 	 	quais em São Tomé    	93.000 habitantes 	
        Capital São Tomé - 30.000 habitantes
 	 	Príncipe 	7.000 habitantes 	 
  	Independência  	1975  	 	 
  	Regime  	República Democ. 	 	 
  	Parl. Língua 	Português 	 	 
  	Religião  	Católica (80%) 	 	 
  	Moeda 	Dobra  	 	 
  	Esperança de vida 	M = 66, F = 70 anos 	 	 
  	Horário 	GMZ  	 	 
  	Clima  	Tropical época Gravana (Maio - Setembro) fresco, seco 	 	 
 	 	enevoadoTemperatura média anual 	25 C 	 
 	 	Quantidade máxima de precipitação 	6.000 mm: Pico São Tomé 	 
 	 	Quantidade mínima de precipitação 	200 mm: costa NO de São Tomé 	 
  	Economia  	Cacau, café, óleo de palma, peixe 	 	 
Cronologia
1471 (21 de Dezembro)- Chegada dos Portugueses à ilha de S. Tomé
1472 (17 de Janeiro)- Chegada dos Portugueses à ilha do Príncipe
1485 - Início do povoamento da ilha de S. Tomé por João de Paiva
1493 - Novo povoamento da ilha de S. Tomé por Álvaro de Caminha
1500 - Povoamento da ilha do Príncipe por António Carneiro
1504 - Construção da primeira igreja em S. Tomé
1515 - Carta de alforria aos escravos dados aos povoadores e seus
       filhos, concedida pelo rei D. Manuel I
1517 - O rei D. Manuel I estende a carta de alforria aos escravos 
       dos primeiros povoados
1574 - Revolta dos Angolares
1595 - Revolta de Amador
1641 - A ilha de S. Tomé é conquistada pelos Holandeses que arrasam 
       mais de 70 engenhos de açucar
1709 - Assalto dos Franceses a S. Tomé
1753 - A capital passa para a ilha do Príncipe
1753 - A ilha do Príncipe é incorporada nos bens da coroa
1800 - Introdução da cultura de café na ilha do Príncipe
1822 - Introdução da cultura de cacau na ilha do Príncipe
1852 - A capital retorna a S. Tomé
1857 - Introdução da tipografia e publicação do primeiro número do 
       boletim oficial do governo da província
1858 - João Maria de Sousa e Almeida (Barão de Água Izé), introduz 
       a semente de fruta pão em S. Tomé
1875 - Abolição da escravatura em S. Tomé
1878 - Fim do reino dos Angolares através de uma expedição militar, 
       ordenada por Estanislau Almeida
1910 - Surgimento da liga dos interesses indígenas
1953 - Massacre de 3 de Fevereiro
1957 - Implementação da P.I.D.E. em S. Tomé
1960 - Criação da C.L.S.T.P. (Comité de Libertação de S. Tomé e Príncipe)
1972 - Conferência de Santa Isabel - o C.L.S.T.P. transforma-se em M.L.S.T.P.
1972/ 73- Reconhecimento pela ONU da legitimidade do movimento de libertação.
1974 (26 de Novembro)- Acordo Argel
1975 (12 de Julho)- S. Tomé e Príncipe torna-se independente
1975 - Manuel Pinto da Costa, líder do M.L.S.T.P., torna-se Presidente da República
1982 - Adopção de uma nova constituição.
1984 - STP declara-se país não alinhado.
1985 - Eleições presidenciais e legislativas num regime de partido único. 
       O Presidente é reeleito
1989 - Início do processo de democratização
1990 (22 de Agosto)- Adopção por referendo de uma nova constituição política, 
       que instala o multipartidarismo
1991 (20 de Janeiro)- Vitória nas eleições legislativas do Partido de 
       Convergência Democrática (PCD-GR)
1991 (3 de Março)- Vitória de Miguel Trovoada nas eleições presidenciais
1994 - Regresso ao poder do MLSTP/PSD depois de eleições legislativas antecipadas
1995 - A ilha do Príncipe torna-se uma região autónoma
1996 - Reeleição de Miguel Trovoada para o cargo de Presidente
1998 - Nomeação de Guilherme Posser da Costa para o cargo de primeiro ministro
2001 - (29 de Julho) Vitória à primeira volta de Fradique Meneses nas 
       eleições presidenciais
2001 - (Setembro) Nomeação de um Governo de iniciativa presidencial.